Hoje eu vou falar sobre um assunto que me deixa muito triste: o bullying. Vemos sempre nos noticiários,  os efeitos horríveis que essa prática absurda causa nos jovens. Desde traumas para a vida inteira,  a suicídio e homicídio.

Muitas palavras machucam a alma. A agressão verbal causa tanto estrago quanto a agressão física. Às vezes causa até estragos maiores. São palavras cheias de maldade  que se mascaram em falsas brincadeiras. Mas se durante essa “brincadeira” , somente um se diverte enquanto o outro sofre,  isso não é brincadeira, é bullying.

Sabe o que me irrita?  É esse povo das antigas que vem com aquele papo de sem noção,  dizendo que os jovens de hoje são a “geração mimimi”  e se fazem de vítima. Já que falam tanto em criar pessoas fortes, por que não educam melhor seus filhos para que tenham empatia com o próximo? Será que é mais fácil o vizinho educar o filho pra ser forte do que eu criar meu filho ensinando-o a respeitar as diferenças?

Esse povo que vive se vangloriando “ah, no meu tempo…”, não  entende que na época deles era só tirar sarro, fazer piadas. Hoje está bem pior. Bullying hoje é jogar comida na pessoa, jogar a mochila fora, riscar e arrancar as folhas dos livros e cadernos, fazer piadas no meio da sala de aula, ou seja, cometem todo o tipo de agressão. E ainda tem o cyberbullying, que é praticado nas redes sociais. Não tem para onde fugir.

Fico triste em ver que muitas pessoas agem como se o problema estivesse na pessoa que está sofrendo bullying. Não concordo. Acho que o problema é a falta de limite que essas crianças e adolescentes que praticam bullying têm hoje, na falta de educação dada pelos pais e na falta de autoridade  dos educadores dentro da escola.

O certo seria ensinar as crianças e os adolescentes a não praticarem o bullying e não fazer como alguns que  sugerem que as vítimas ignorem e sejam fortes. Está na hora de analisarmos que tipo de cidadãos estamos criando para o futuro. Lutar contra o bullying não é fazer parte de “geração mimimi “, é fazer parte da geração do respeito.