Por mais absurdo que pareça, existe sim , preconceito com mães solteiras.

Apesar de hoje eu estar casada, já senti na pele esse preconceito quando tive minha primeira filha e depois me divorciei. Sim , as mães divorciadas também passam por isso, principalmente se depois do divórcio temos que arcar com todas as responsabilidades sozinhas.

Ainda existe muito disso, o Brasil é um país machista. As vezes até algumas mulheres também são.

Muita gente acha que mãe solteira é vagabunda, que não serve para compromisso sério. Existem algumas mulheres casadas que acham que uma mãe solteira vai tomar seus maridos. Até mesmo empresas que não contratam mulheres solteiras com filhos pequenos e por aí vai…

Se eles parassem para pensar o quão guerreiras essas mães são. Ter que enfrentar a vida sozinha, trabalhar e cuidar do filho que o homem só soube fazer, mas não assumiu a responsabilidade. Ou aqueles que se acham bom pai porque dão uma miséria de pensão alimentícia e acha que estão dando uma fortuna. Ou pior, aqueles que nem pensão dão e ainda se acham pai.

Se soubessem o quão é difícil encontrar alguém e se envolver novamente. O medo de se envolver com alguém errado e ruim para seus filhos. As vezes, preferir ficar sozinha, para não correr riscos. Pelo menos enquanto os filhos estão pequenos.

Essas mães guerreiras, mãe e pai ao mesmo tempo, merecem homenagens e não críticas. Mas para essa sociedade hipócrita é mais fácil julgar do que se pôr no lugar do outro.

As mães que mesmo sozinhas, sejam elas solteiras ou divorciadas, lutam para cuidar de seus filhos são guerreiras. Mãe não é estado civil. Não faz diferença ser mãe solteira. Ela é mãe e isso já é o bastante.